06/04/14

27 Teses sobre Expiação e Substituição Penal

 Há quase dois anos escrevi um texto (clique aqui) tratando da teoria da Substituição Penal e de como ela não se enquadra na temática bíblica da expiação/propiciação. Resolvi reduzir o tema ali exposto a algumas teses, que facilitam a mim (e a qualquer interessado) visualizar o tema sinteticamente.t

1. Há quem afirme que a Substituição Penal é o Evangelho. Curiosamente, ela não se encontra em lugar nenhum dos quatro evangelhos.

2. A teoria da Substituição Penal não é o Evangelho, mas uma moda teológica calvinista.

3. A Escritura não declara que a ira de Deus caiu sobre Jesus. Jesus nos livra, mas não se tornando alvo da ira de Deus em nosso lugar.

4. Deus ira-se verdadeira e justamente contra o pecado, mas a salvação não consiste em fazer com que essa ira caia sobre um inocente (algo que Deus geralmente condena como pecado), independentemente de um inocente ser o causador de nossa salvação e ter sofrido por nós.

5. Pelo contrário, Jesus nos livra dessa ira sendo alvo do amor do Pai e absorvendo-nos nesse amor filial.

6. O conceito de "satisfação da ira de Deus" não é bíblico (Barth).

7. Onde há satisfação da ira, não há propiciação. Onde há propiciação, não há ira.

8. A Escritura não declara que o pecado dos crentes (ou do mundo) foi imputado a Jesus.

9. A Escritura não declara que Jesus foi punido/condenado pelos pecados dos crentes (ou do mundo).

10. Podemos dizer que Jesus foi punido e podemos dizer que seu sofrimento foi pelos pecados dos crentes (ou do mundo), mas em sentidos diferentes.

11. Jesus foi de fato condenado/punido, mas não por Deus: foi punido injustamente pelos oficiais romanos sob incitação das autoridades religiosas de Jerusalém.

12. A Escritura não declara que Jesus morreu ao invés dos pecadores. Declara que Jesus morreu para que possamos morrer através dele. Cristo não morre em nosso lugar, mas conosco.

13. O sacrifício de Jesus não pode ser entendido sem a união com Cristo (soteriológica, então sacramental e eclesiológica), através da qual aquilo que vale para Cristo vale para o cristão, e aquilo que pertence a Cristo pertence também ao cristão.

14. A Escritura não declara que os crentes estão automaticamente perdoados, o que seria mais natural se a teoria da Substituição Penal fosse verdadeira. Continuamos orando pelo perdão dos pecados individuais.

15. O que é dito sobre o sacrifício de Cristo acima vale para os sacrifícios da Lei de Moisés, que jamais são descritos como uma "substituição".

16. Somente alguns sacrifícios da Lei de Moisés têm caráter expiatório.

17. Os sacrifícios da Lei de Moisés incluem a possibilidade de fazer expiação com farinha, que não pode ser punida por nada, assim como incluem expiação por lugares, que não cometem pecados.

18. O objetivo do sacrifício da Lei de Moisés era o sangue, e não a morte do animal. A morte fatalmente ocorria, mas não era esse o objetivo.

19. Tentativas de mostrar a teoria da Substituição Penal na Escritura (seja nos sacrifícios da Lei, seja no sacrifício de Cristo) são culpadas de petitio principii, lendo textos bíblicos a partir da teoria e então tentando derivar toda a teoria a partir dos mesmos. Eisegese.

20. O mais gritante caso de eisegese cometido pela teoria da Substituição Penal consiste em atribuir a retributividade inflexível à justiça de Deus.

21. A teoria da Substituição Penal é uma caricatura simplificadora da verdadeira expiação.

22. A teoria da Substituição Penal ignora assimetria entre as "penas". De um lado, nossa pena eterna no inferno; de outro lado, o sofrimento de Cristo na cruz.

23. Qualquer defesa da "equiparação" entre a pena do pecador e o sacrifício de Cristo torna-se necessariamente uma admissão da assimetria.

24. A teoria da Substituição Penal não explica por que Jesus morreu do modo como morreu. Se tomarmos em consideração essa teoria, ele poderia ter morrido de qualquer outro modo.

25. E, curiosamente, sem nenhuma explicação, o "tribunal" de Pôncio Pilatos torna-se o tribunal de Deus, no qual o pecador é condenado na pessoa sem pecado de Jesus de Nazaré.

26. Assim, não há como dizer que a punição de Jesus substitui a nossa punição. Tudo o que podemos dizer é que o sacrifício de Cristo substitui a nossa punição (Anselmo: aut poena aut satisfactio).

27. A teoria da Substituição Penal supõe (sem garantia na Escritura) que Deus não poderia perdoar sem punir, desligando o perdão divino do perdão que o cristão deve mostrar pelos que pecam contra ele (o perdão contra os seus devedores, que com justiça lhe devem), que deveria ser divino.


G. M. Brasilino

18 comentários:

  1. desculpe (ou não) mas você se equivocou nesta também
    a biblia é FARTA em ensinar a SUBSTITUIÇÃO PENAL , por exemplo 'pelas NOSSAS transgressões fostes moído'. isto não tem como ser interpretado senão por SUBSTITUIÇÃO de pena, está literalmente escrito 'pelas nossas', e outra você usa uma espécie de falácia de olha lá o avião, ao falar em 'ira de Deus', um MAGISTRADO não precisa se irar para APLICAR A PENALIDADE , não há porque deste argumento. E ainda : 'Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar..", ora se o Senhor se 'agradou', é porque a IRA de Deus esteve sobre Jesus, se não com este sentido de 'irritado', mas a Ira de Deus, na bíblia, é mui referida como 'permissão mais plena do castigo'.

    cuidado com precipitação 'doutrinária'. por exemplo, você tenta falar que uma doutrina tão evidente, quanto a de substituição da pena, seria 'Calvinismo', e assim declina que não gostaria do Calvinismo, mas predestinação é ABSOLUTAMENTE algo bíblico, tão, mas tão registrado (literalmente) na ´biblia, que se contam os contextos às DEZENAS , não há como um cristão SOLA-SCRIPTURA (que se pretenda ser) negue predestinação, que nada mais é que a SOBERANIA divina total sobre suas criaturas. 'lugares comuns' de quem não aceita esta SOBERANIA total é que geram crítica, indevidas, ao Calvinismo (predestinação), do tipo 'ah, mas temos livre-arbítrio', lógico que temos, DENTRO DA PREDESTINAÇÃO que foi gerada por .. DEUS , há o permitssório de livre-arbítrio, explicar isto NÃO é difícil, porém as pessoas por pré-concebimento, já fecham logo as portas da aceitação , sobre esta RÉGIA doutrina bíblica, como todas bem registradas . Poderíamos começar lembrar, que JESUS foi DEZENAS de vezes profetizado no VT como sendo PREDESTINADO a ser isto ou aquilo, morrer de tal e qual forma, vencer, PREDESTINADO (Calvinismo), e NEM POR ISTO perdeu seu livre-arbítrio, este exemplo, para quem quiser se aperfeiçoar em doutrina, seria o suficiente para mostrar que o acusatório contra Calvinismo que anda por aí, é superficial, e em alguns casos (quando a pessoa já foi exposta ao CONTRADITÓRIO, como este sobre Jesus-predestinado), chega a ser acusatório leviano, mas então medite ai sobre o Jesus, pré-destinado, e antes dele o David ("e meus dias foram escritos em seu livro da vida, quando nenhum deles ainda existia") , e retrocedendo à Abraão, e Adão, todos, absolutamente todos, preestinados, é por isto que Deus pôde AFIANÇAR PROFÉTICAMENTE que Jesus viria da raiz de David, e tanto mais, que predestinadamente, era previsto.

    ResponderExcluir
  2. "27. A teoria da Substituição Penal supõe (sem garantia na Escritura) que Deus não poderia perdoar sem punir, desligando o perdão divino do perdão que o cristão deve mostrar pelos que pecam contra ele (o perdão contra os seus devedores, que com justiça lhe devem), que deveria ser divino"

    desculpe, mas é outro diversionismo, poderias provar na bíblia que o pecado pode ser PERDOADO SEM CONSEQUÊNCIAS, por um ONI-JUSTO magistrado ? No momento que você faz esta ilação, você, de certo modo, desrespeita o caráter do Deus TODO-JUSTO , você faz (sem perceber, ai entende-se) o que o ATEÍSMO faz com nosso Deus , coloca seus VALORES ONTOLÓGICOS contra sí-mesmo, ele é 100% piedoso DENTRO de sua qualificação de 100% JUSTO .., NENHUM valor ontológico (base) de um ser pode ser contra outro valor, é ológica absolutamente necessária para definir um Ente - se você colocar a piedade CONTRA a justiça, então a incongruência é tua, não da doutrina de substituição penal, que qualifica Deus como 100% JUSTO, e um ente 100% Justo DEVE fazer justiça, por óbvio, e assim está escrito 'O CUSTO DO PECADO É A MORTE', no momento que você tenta tanta suposta 'filosofia' (aspas) colocando piedade contra aplicação penal, você acaba acusando, sem perceber que seja, que Deus seja então INJUSTO , pois o que qualifica justiça é graduar benefícios e penalidades, de acordo com fatos, mas o CONTRÁRIO de justiça, é DESARTICULAR os fatos de suas consequências. E assim você faz, sem perceber, o mesmo acusatório dos Ateus 'ohh que Deus que perdoa estupradores, basta estuprar, roubar, e depois pedir perdão'.. Segundo tau 'lógica', não só justificas o acusatório dele, mas chega a um ponto pior - se não há substituição da pena, DESNECESSÁRIO o sacrifício de Cristo, pois NÃO HÁ mais vínculo entre o perdão, e a pena, (segundo tua doutrina) , nada impediria Deus de declamar 'tá perdoado , e não precisa de enviar meu filho para sofrer, porque minha misericórdia não precisa substituir a pena em um inocente' .

    Cuidado colega, teu erro é maior do que imaginava quando comecei estas linhas, tentar sofismar a substituição da pena nos ombros de Jesus, é uma heresia não pequena, ela gera, IMEDIATAMENTE, a presunção e que Cristo era desnecessário padecer sob as mãos dos ímpios. Comecei acessando teu blog para reler alguns argumentos contra o catolicismo, até ai merecia meus aplausos, mas depois comecei a perceber que você ligou o 'precipitação ON' , tudo que falamos ou defendemos , tem custos, se não tens certeza sobre alguma base doutrinária, se omita até tenha-a, a melhor maneira de infirmar certeza doutrinária, é expô-la ao CONTRADITÓRIO .

    ResponderExcluir
  3. último - CASO a piedade divina despropositasse a JUSTA RETRIBUIÇÃO pelo pecado (pena), então você teria acabado de originar o 'Deus CRUEL' que encarceirará os ímpios no INFERNO de tormentos, só por capricho, já que para você-> a piedade dele não precisa penalizar, só sobra que Deus seria 'sádico' é one leva TUA ilação, é impossível você desatar este nó que criastes, não se fores sincero contigo mesmo, o melhor é você remeditar este artigo.. Deus é 100% JUSTO , e portanto EXIGIVELMENTE terá que cobrar o custo do pecado, e por ser 100% piedoso, fez o que ninguém de nós faria - DESCEU de seu resplendor de glória e paz, para viver SOB TORTURA na 'pele' de Jesus.., em SUBSTITUIÇÃO da JUSTA PENA , que EXIGIVELMENTE teria que ser cobrada do pecador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não lerei suas postagens. Escreva respostas suscitas e respeite à gramática se quiser atenção.

      O Sr. não entendeu absolutamente NADA do que eu escrevi. Concluiu até mesmo que eu neguei a predestinação. Leia antes de responder.

      Excluir
  4. O que o salmista quer dizer com: "Ó senhor, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor. Porque as tuas flechas se encravaram em mim, e a tua mão sobre mim desceu.."
    Não creio eu, Abraão, que fora flechas de amor que o Senhor tinha destinado ao Salmista.
    Temos uma parábola que pode lhe mostrar a substituição. Havia um Senhor que tinha um único filho. Este filho seria a única garantia que ele teria uma geração grandiosa, conforme o Senhor o tinha prometido. Porém o Senhor pediu à este Senhor o filho dele como sacrifício. E ele o atendeu. Porém quando estava quase imolado o menino brandou-se e disseram-lhe: Não faça tal. E ao olhar para um lado havia um cordeiro. Pegaram aquele cordeiro e sacrificaram no lugar do menino. Houve substituição?

    Sei que muito deve já ter ouvido sobre. Porém deve-se lembrar da armadura de Deus. e uma destas armaduras é a couraça da justiça. Você jamais deverá utilizar a sua própria couraça da justiça. Pois você sabe que não tens justiça. Antes nossa justiça é para condenação. Somente a Justiça de Jesus nos serve.
    Olha o qual refutável foi seu texto. Deve saber o que é Justiça. É dar a cada um o que lhe é por direito.
    Olhe o que é dito em substituição de Cristo: "Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis." 2 Coríntios 8:9
    "Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados." 1 Pedro 2:24
    e por fim: "Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram.
    E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 2 Coríntios 5:14-15 ou: "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus." 2 Coríntios 5:21

    Ah tem este também: "E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,
    E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;" Filipenses 3:8-9 Viu? A justiça que vem pela fé em Cristo. Que se Cristo morreu por nós não precisamos mais morrer. Pelo contrário temos vida. Garantida. Porém a vida é realmente confirmada se fizermos a vontade do Pai. Pois quem irá tentar ao Senhor? Ou continuaremos pecando para que esta maravilhosa graça continue se abundando? Não! Antes tomamos a justiça de Cristo sobre nós e nos revestimos do novo homem que ele nos propõe. Este homem não será para salvação nossa, antes, para nosso amor para com Ele.
    Espero que respondas. Creio em tua sinceridade..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bastante fácil de responder: em nenhum dos casos citados há uma Substituição PENAL. O dogma calvinista da Substituição Penal afirma que:

      1. A justiça de Deus exige absolutamente a PUNIÇÃO do pecador.
      2. Portanto, Deus deve punir, mesmo necessitando de perdoar.
      3. Portanto, para poder perdoar o pecador, o Pai puniu o Filho em seu lugar.

      É evidente que há uma substituição nas Escrituras: o sacrifício de Cristo substitui a minha morte. Mas isso não quer dizer que a morte de Cristo seja uma PUNIÇÃO. Cristo não foi PUNIDO por Deus.

      Seus argumentos foram:

      1. Uma "parábola" (que é baseada na história de Abraão). Quando o Sr. pergunta "Houve substituição?", faz a pergunta errada. A questão não é se houve substituição (Tese 26). A questão é se essa substiutição é PENAL, ou seja, se um indivíduo é punido em lugar de outro.

      2. Uma definição pagã de "justiça". O direito romano (pagão) definiu justiça como dar a cada um o que é seu (suum cuique tribuere). Entretanto, a justiça de Deus na Escritura não é dar a cada um o que é seu. A justiça de Deus é restaurativa, e não retributiva. Leia a postagem "Justiça e Misericórdia", de Maio de 2012.

      3. Eu nunca neguei que somos salvos pela justiça de Jesus. O que eu disse é que essa justiça nada tem a ver com uma substituição penal.

      4. 2 Coríntios 8:9. Esse texto é excelente, porque ele contradiz abertamente a Substituição Penal. O que ele nos diz que é que nós nos tornamos ricos PELA POBREZA de Cristo, não pela sua riqueza. O texto não diz que a riqueza de Cristo é "transferida" para nós. Ademais, o texto nada fala sobre punição.

      5. 2 Coríntios 5:14,15,21; 1 Pedro 2:24. Os textos não dizem absolutamente NADA sobre a necessidade de Deus punir o pecador, ou sobre Cristo ter sido PUNIDO no lugar do pecador.

      6. Filipenses 3:8,9. Esse texto também contradiz a Substituição Penal. A doutrina da Substituição Penal ensina que a justiça de Cristo é sua obediência à lei. Portanto, se existe Substituição Penal, a justiça do cristão é a justiça da Lei. Mas o que o texto diz é que a justiça do Cristão não provêm da Lei, mas provem de Cristo.

      O Sr. comete um erro ao afirmar que "se Cristo morreu por nós não precisamos mais morrer". A Escritura não diz tal coisa. O que ela nos diz é que, se Cristo morreu, todos nós morremos COM ele (2 Coríntios 5:14; cf. Romanos 6:6). Não nos diz que não precisamos morrer, mas que nossa morte já aconteceu.

      Excluir
    2. JESUS morreu por nossas culpas, libertando-nos do castigo do pecado, que é a morte. = Sacrifício Vicário.

      Excluir
    3. Está bastante correto. Nada disso é uma substituição PENAL.

      A Escritura não diz que a morte de Jesus foi uma substituição penal, ou seja, que Jesus foi punido no lugar do pecador, para que o pecador não precise morrer. O que ela nos diz é que Jesus morreu em nosso favor, que a morte dele torna-se nossa morte, que por sua morte somos curados da chaga do pecado.

      O sacrifício de Cristo substitui nossa punição. Sacrifício vicário, sem dúvida! Mas não substituição penal.

      Excluir
    4. Qual foi o "cálice" que Jesus "ingeriu"?

      Excluir
    5. O cálice do qual Jesus bebeu (Mt 26:39) é o mesmo que os apóstolos iriam beber (Mt 20:22,23).

      Excluir
    6. resposta que recebi 'não vou ler enquanto não respeitares gramática', bem típico de quem se esconde de FOCAR nos pontos levantados, para isto é melhor 'malhar a forma, as vírgulas', do que o CONTEÚDO , o que eu vejo é MUITA TEIMOSIA no velho estilo 'já sei tudo, não preciso me aperfeiçoar, e se falei, não vou voltar atrás'. LAMENTÁVEL , pois PARA nos tornarmos cristãos, TIVEMOS que ABDICAR DE VELHOS CONCEITOS . e tua tentativa de cancelar a RÉGIAMENTE REGISTRADA substituição penal, é um ERRO GRANDE , deverias começar a pensar em pedir perdão, e também abdicar de táticas tão usadas no ...ateismo, como este tipo de conduta de criticar errinhos de digitação ou apressuramento, bastaria dizer 'não tenho tempo agora para debates'.

      Por exemplo, você fala uma inveracidade na tua vontade IDEOLÓGICA de 'ser inerrante' (cuidado, o papado também pensa ser infalível em doutrina' e você sabe qual será o fim deste auto-engano , e auto-engano de vaidade por não admitir 'cortar na própria carne', pois reavaliar tem um custo PSICOLÓGICO de se admtir 'torto em algum grau'.. - diz que a bíblia não trás ensino de que Jesus foi punido no lugar do pecador, veja como você falou foi 'além das escrituras', na verdade as negou por vontade-ideológica :

      (I João 4:10) - Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.
      (I Pedro 2:24) - Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.

      Ora ->NOSSOS pecados, não os de Cristo, não 'pecado algum', como ->precisaria ser pela tua tese, mas os NOSSOS , está muito bem escrito, literalissimamente explícito. E ainda '=>levando em seu corpo NOSSOS pecados', se isto não é SUBSTITUIÇÃO , você precisa morar em algum UNIVERSO PARALELO onde a linguística seja outra.

      quem cobra GRAMÁTICA , tem que provar que sabe ler textos simples e objetivos como estes, como sei que sabes, ai está escrito EXATAMENTE , PELOS nossos pecados Jesus sofreu em cruz, =>não tem outra interpretação possível, minimamente sincera é impossível - basta não fazer-se de teimoso, isto é SEM TIRAR OU POR , SUBSTITUIÇÃO PENAL , e o erro não é 'circunvizinho', negar isto é NEGAR A PRÓPRIA CRUZ , Outra é ABSURDO demais tua tese, sem aio, pois neste caso Deus seria um CRUEL CAPRICHOSO para colocar se Filho amado sob tortura , visto que se fosse apenas a Justiça de Jesus a 'irradiar pelos povos', NÃO há porque haver a tortura da cruz, qual o motivo seria senão capricho EM TUA tese ?

      Excluir
    7. parte 02

      sobre Filipenses 3:8-9, você comete OUTRA inveracidade, resta saber se voluntária , ou mera teimosia - (Filipenses 3:9) - E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;

      Ora, Paulo NÃO fala nada do que você intentou, tentando negar que a Justiça de Cristo venha de ser um RÉGIO cumpridor da lei, VEM SIM, porque para COMEÇAR basta sabe ler para reconhecer que o termo JUSTIÇA SOMENTE pode advir de CUMPRIMENTO DE LEIS, novamente é questão LÉXICA óbvia de tudo - ser justo em relação à algo , é ser cumpridor de regrática, de parâmetros, leis-preceitos, enfim. se você tentar a velha tática de dispensacionalismo radical , adianto que a GOLDEN LAW de Cristo 'amais os outros como a vós mesmos', JÁ estava na lei mosaíca 'Levítico 19) , Cristo apenas ensinou , como mais detalhes, que ESTA É A LEI MÁXIMA que , em sendo cumprida , CUMPRE TODAS AS DEMAIS , pois o objetivo de Deus com cada um dos preceitos mosaícos, sempre foi O BEM DO HOMEM , até quando determinava apedrejamentos, pois visava o BEM social pelo exemplo, E assim, Jesus TAMBÉM deve ser considerado Justo PELA LEI MOSAICA (quando bem entendida em seu propósito) ,e você comete um PULO de conveniência-ideológica, porque é facinho entender que a justiça DA FÉ , não exime a JUSTIÇA DA LEI, pois é a FÉ EM JESUS , que nos faz HERDAR (sim, por substituição) a JUSTIÇA DA LEI , fé naquele que cumpriu toda a lei POR NÓS , do exato jeito que pagou nossos pecados EM SEU CORPO , como LITERLAMENTE a bíblia ensina, já mostrado. E isto também é literal e indesafiável na bíblia :
      (Romanos 8:4) - Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.

      PARA QUE a JUSTIÇA DA LEI (pela fé, mas justiça da lei), se cumprisse em NÓS ... SUBSTITUIÇÃO de novo, e novo, e olhe que usei apenas 03 textos de MUITOS que eu poderia ter usado, não há como negar a doutrna de substituição, CLAMO que revejas teus conceitos, estás naquela fase de que 'ah, já sei, sou apologista, Deus é comigo, não erro, não volto atrás', mas o homem de coragem Cristã, DEVE voltar atrás quantas vezes necessário, lembrando FOI ASSIM que nos convertemos, QUEM NÃO voltou atrás, está ainda no secularismo, no judaísmo, no catolicismo, enfim, pagando o preço a teimosia., somos chamados à CONSTANTE REANÁLISE . EU O FAREI , SE você me mostrar texto claro que me desminta E pedirei perdão à Cristo, mas não farás, é IMPOSSÍVEL , você opcionou por uma TESE MORTA , muito cuidado porque não é erro sutil não, negar substituição de custo de pecados na, pela cruz, éNEGAR A PRÓPRIA CRUZ , pois NÃO TEM outro motivo para Deus permtir-SE (pois Jesus é DEUS encarnado) se crucificado, SENÃO a SUBSTITUIÇÃO em SEUS OMBROS, dos pecados da humanidade ... negar isto é NEGAR CRISTO, agora não se 'feche em copas', adentre ao santuário de Cristo, com rogos... inté.

      (e sim, devem haver erros de gramática, e digitação, se isto cauteriza teus olhos, podes reclamar, OU podes dar valor ao que não tiveres com rebater, argumentos'.

      Excluir
    8. com vejo que a teimosia está grande, 'substituição vicária mas não penal', isto, preciso dizer, é uma tergiversação bem ruinzinha... É ÓBVIO , que se há substituição vicária , definida por você como 'em nosso favor', e a partir daí NÃO HÁ MAIS MORTE (condenação eterna) do pecador, ENTÃO é evidente este 'em nosso favor', foi o CANCELAMENTO DO CUSTO DO PECADO -==> SUBSTITUIÇÃO portanto - onde um justo teve que SOFRER , em SUBSTITUIÇÃO do custo que NÓS teríamos que pagar -: (I Pedro 2:24) - Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.

      Olhe como você está EM PERIGO IMINENTE , espero que seja só esta a doutrina onde erras EM ABUNDÂNCIA - é COUSA SÉRIA teu erro aqui, LEVANDO SOB SEU CORPO NOSSOS pecados, isto não tem outro nome senão SUBSTITUIÇÃO penal , pois para qualquer escolarizado, este 'levar no madeiro', é O SOFRER NO MADEIRO , sofrer PORQUE estava LEVANDO NOSSOS PECADOS .
      SE DÊ o DIREITO DE ERRAR , não és perfeito, não sou, ninguém é, mas quem não se deu direito de errar doutrináriamente, se tornou 'torquemadas, papas, clérigos da idolatria', e você sabe onde irão parar.. a bíblia nos diz 'um puco de fermento levada a massa toda', não sei porque empreendeu esta de 'dom quixote' contra o 'moinho de vento da substituição', vou ATIRAR a esmo - você deve ser daqueles que TANTO combateu a Icar, que em determinado momento passou a DEMONIZAR TUDO que a Icar defendia, ou quase tudo, CUIDADO não é assim que se analisa doutrinas, é como PAULO ensinou 'ANALISAR TUDO, RETENDO O QUE FOR BOM', muito é heresia,, mas NEM tudo, cuidado para não estar atirando a esmo...
      findo aqui...em princípio.

      Excluir
    9. Sr. Articulador sem nome, eu já disse que não vou ler suas postagens enquanto o Sr. não organizá-las e escrever corretamente. ENTENDA: Não estou lendo suas postagens. Não faço a mínima ideia do que é que o Sr. está dizendo.

      Se quiser ser lido, seja CLARO, seja SUCINTO e ESCREVA CORRETAMENTE.

      Se não quiser ser lido, deixe de postar bobagens no meu blog.

      Excluir
    10. Sr. Gyordano. Tens um excelente modo cristão. Aparentando ter amor para com todos. Sendo paciente em ler, estudar e admoestar. Sendo passível em ensinar. Tens uma conduta completamente invejável por muitos. Cuida-te somente em conseguir ser um pouco melhor do que os fariseus. Se não já viu...

      Imagino tu evangelizando pessoas humildes. Recomendo-lhe muito ler as cartas pastorais de Paulo. Tanto para Timóteo quanto Tito. Tenha paciência para com todos..
      Quanto às suas considerações sobre o assunto aqui pautado. Não tem nem onde pensar em te responder. Não há sinceridade em ti. Como ajudar alguém que tem suas próprias mãos aos olhos?

      Excluir
    11. Sente-se mais feliz e cristão deixando o assunto de lado e passando a me acusar injustamente? Se não quiser continuar com o assunto, não poste novamente. Não precisa se despedir.

      Excluir
  5. Os pontos são repetitivos. Falar um a um fica muito cansativo, pois o cara bate na mesma tecla e não aponta argumento algum. Mas o legal é que textos bíblicos não faltam, pois é do evangelho que estamos falando. Vamos lá.

    1. A substituição penal encontra-se implícita nos evangelhos. Tanto que Paulo escreve que Deus ofereceu Cristo como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser justo e justificador daquele que tem fé em Jesus (Romanos 3.25-26).

    2. O termo “justo/justificado” demonstra cabalmente a substituição penal. Foi necessário pagar o preço da redenção, pois sem derramamento de sangue não há perdão (Hebreus 9.22).

    3. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (GáIatas 3.13). Propiciação refere-se à remoção da ira de Deus provendo um substituto. O Cristo não apenas cancela a ira; ele absorve-a e desvia-a de nós para si mesmo. A ira de Deus é justa, e foi executada, não retirada.

    4. Paulo ensina que Deus tornou uma oferta pelo pecado por nós aquele que não tinha pecado (Cristo), para que nele nos tornássemos justiça de Deus (II Coríntios 5.21).

    5. Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados (I João 4.10). Na realidade, além de nossos pecados terem sido castigados em Cristo, a santidade de Cristo nos foi atribuída.

    6. Isaías 53 anuncia que a causa da morte do Cristo são as nossas transgressões e que o seu castigo nos traz paz (com Deus). O mesmo texto nos mostra que foi da vontade de Deus esmagá-lo e fazê-lo sofrer, tendo feito da vida dele uma oferta pela culpa.

    7. Propiciação é o ato pelo qual alguém torna-se propício. Se alguém se torna propício é porque não estava. Mas, se a ira é executada, ou seja, se o preço é pago, não há mais ira (dívida).

    Aff... O restante já dá pra ser rebatido com os textos citados.

    Por fim, cito Romanos 5.8-10: Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. Como agora fomos justificados por seu sangue, muito mais ainda, por meio dele, seremos salvos da ira de Deus! Se quando éramos inimigos de Deus fomos reconciliados com ele mediante a morte de seu Filho, quanto mais agora, tendo sido reconciliados, seremos salvos por sua vida!

    ResponderExcluir
  6. Nenhum texto citado nos diz que 'Cristo teve que morrer no lugar do pecador, para que o pecador pudesse ser perdoado, porque Deus não pode perdoar sem punir'. Absolutamente nenhum.

    ResponderExcluir