12/06/12

Demônios existem


 Ouvi recentemente o argumento de que os espíritos a quem Jesus e os apóstolos expulsavam eram chamados no Novo Testamento de “demônios” simplesmente por “motivos culturais”, e que se tratavam simplesmente de doenças (como epilepsia), às quais se dava uma interpretação mitológica.

Esse argumento é falso, e é muito simples prová-lo: havia, no judaísmo da época, diversos grupos, dos quais dois se destacavam: os fariseus e os saduceus. Uma distinção entre esses grupos é de que os saduceus não acreditavam em “espírito” nem em “anjo” (Atos 23:8), enquanto os fariseus acreditavam nessas coisas. Os saduceus eram a elite do judaísmo. Não se trata, portanto, de uma “cultura geral” que interpretava universalmente os fenômenos como sendo de origem espiritual-diabólica. Havia opiniões divergentes quanto isso.

Nessa questão, não havia um “contexto cultural” ao qual devesse se adequar. Jesus poderia perfeitamente ter dito que as convulsões eram doenças a serem curadas, e não espíritos a serem expulsos, confirmado aquilo que diziam os saduceus. Mas não disse!


G. Montenegro

3 comentários:

  1. Sim, eles existem. Eu já presenciei um caso de possessão demoníaca na minha família.

    ResponderExcluir