05/01/11

Eisegese

Dá-se o nome de “eisegese” (em oposição à exegese) à prática de interpretar um texto inserindo nele elementos da crença do intérprete. É um modo falho de interpretação, um a vez que confunde a crença do escritor com aquela do intérprete.
Embora seja um modo incorreto de interpretação, nem sempre é um método ativamente malicioso. Na realidade, a eisegese é extremamente comum. Quando um cristão que tem uma determinada posição doutrinária se depara com um texto bíblico que, em sua leitura inicial, contraria tal posição doutrinária, tenta de algum modo reinterpretar o texto.
Também pode ocorrer quando interpretamos o texto segundo uma linguagem posteriormente desenvolvida. Há no jargão pentecostal a expressão “dar glória a Deus”, significando o ato de dizer “Glória a Deus!”. Embora dizê-lo seja certamente uma prática cristã endossável (ex: Lucas 2:14), no tempo dos apóstolos “dar glória a Deus” não significava dizer “Glória a Deus!”. Há algum tempo, vi um pastor pregar sobre Romanos 4:20, acreditando que o texto se referia a Abraão dizendo “Glória a Deus!” e de como o cristão deve dizer a mesma coisa. Ou seja, tal pastor introduziu na interpretação do texto (ainda que inocentemente) um elemento estranho, que distorceu o seu significado.
Em outra ocasião, ouvi a um sermão em que o pastor expunha sobre como o crente é acompanhado por tribulações em sua vida. Um dos textos lidos por esse pastor foi Apocalipse 7:14, na versão Almeida Revista e Corrigida, que diz:

“E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro.” (Apocalipse 7:14)

Após tal leitura, as palavras do pastor (conforme sou capaz de lembrar) foram: 'É “de grande tribulação”. Cuidado pra não ler “da grande tribulação”.' Por que tal advertência? O motivo é simples: o tal pastor é pretribulacionista.
Infelizmente esse pastor errou. Em realidade, o texto grego utilizado para a tradução diz, literalmente, “da grande tribulação” (ἐκ τῆς θλίψεως τῆς μεγάλης). A equipe de tradução da Bíblia Almeida Corrigida e Fiel reparou esse erro e trocou “de” por “da”.
Indubitavelmente o referido pastor é um homem muito mais santo e espiritual do que eu, além de estar há muito mais tempo na fé e de dedicar muito mais tempo à oração do que eu. Mas nenhuma dessas coisas o preveniu de cometer tal erro de interpretação.

G. Montenegro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário