25/11/10

Tradição

Um ponto demonstrado por dois dos mais importantes pensadores cristãos do século XX, G. K. Chesterton e Hilairie Belloc, é a realidade de que a única forma de ser progressista é ser conservador. Se uma geração crê em algo, e a próxima geração em algo totalmente distinto, não houve qualquer forma de progresso. Só seria possível progredir se houvesse um ideal fixo, imutável diante da mudança das gerações.
De fato a geração futura poderia mesmo acreditar ter progredido; entretanto, seria igualmente possível o advento de uma terceira geração, que cresse em algo totalmente oposto ao que a segunda defendia. Se não há um ideal fixo, não há como julgar qual das três gerações está certa em acreditar em seu ideal, e, portanto, não há como julgar qual delas é “progressiva”. Entretanto, se as três gerações acreditam no mesmo, passando adiante a mesma tradição de crença, e, entretanto, há uma constante direcionamento ao ideal colocado pela tradição, aí sim, haveria progresso.

G. Montenegro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário