29/04/08

Crítica ao Pré-tribulacionismo

Não desprezeis as profecias.
(1ª Tessalonicenses 5:20)

Este ensaio propõe uma reflexão sobre o Pré-tribulacionismo, considerando apenas alguns de seus pontos doutrinários, e não seu histórico. É importante, contudo, que o leitor informe-se a respeito do surgimento do Pré-tribulacionismo (e, se for o caso, do Dispensacionalismo), levando em conta que esta doutrina é recente; não existiu na Igreja Primitiva, nem originalmente no Protestantismo, a idéia do Pré-tribulacionismo, embora certos cristãos primitivos, sendo os mais famosos Justino e Irineu, cressem numa forma de Pré-milenismo, enquanto o Amilenismo predominava entre os reformadores. É difícil imaginar o pré-tribulacionismo como algo diferente de um fruto da imaginação fértil do ser humano. Também não é o intuito deste ensaio defender esta ou aquela corrente, mas apenas discernir mito e realidade dentro do pré-tribulacionismo, e proponho tal conforme dois pressupostos sine quibus non do pré-tribulacionismo, a saber, a Inerrância das Escrituras Bíblicas e a inexistência de controvérsias escatológicas na era apostólica. Se este dogma não for considerado, todo o pré-tribulacionismo ruiria.

Mas o que vem a ser pré-tribulacionismo? Basicamente, é a corrente de pensamento escatológico que defende que a Segunda Vinda de Jesus Cristo dá-se em duas fases, resumidamente:


O arrebatamento secreto, no qual Jesus Cristo não toca a terra, e, invisível, ressuscita os mortos salvos e arrebata os vivos salvos, conforme é apresentado em 1ª Tessalonicenses 4:13-17, sendo que este arrebatamento pode acontecer a qualquer momento. Após este arrebatamento, segue-se sete anos (baseado na profecia de Daniel 9:24-27, bem como suas semelhanças com o livro do Apocalipse) de tribulação no mundo inteiro (o Reino do Anticristo / da Besta), em que Deus toma a vingança pelos pecados, vingança esta profetizada no Antigo Testamento. Enquanto isto, Jesus estaria com os salvos nos céus, celebrando as Bodas do Cordeiro. Segundo os pré-tribulacionistas, durante este período de sete anos, o Espírito Santo deixaria de habitar a terra, baseado na interpretação particular e dogmática de 2ª Tessalonicenses 2:7, mas, ainda segundo eles, seria possível haver conversões e salvação nesta época.

A vinda visível, ao fim dos sete anos das Bodas e da Tribulação, em que Jesus retorna com os salvos, para destruir os seus inimigos: a besta, o falso profeta e seus exércitos, aprisionar Satanás e implantar o Reino Milenial, no qual Jesus Cristo reinaria por 1000 anos literais com sua Igreja, sobre as nações da terra. Depois Satanás seria solto, para tentar as nações da terra, e então jogado no Lago de Fogo e Enxofre. Depois ocorreria o Juízo Final sobre os mortos que não participaram da primeira ressurreição, e finalmente, a eternidade.

Vale salientar que este interpretação pré-tribulacionista jamais é sistematicamente apresentada na Bíblia. Ela é baseada numa montagem de diversos versículos, que, para os pré-tribulacionistas, é harmônica, mas que não faz nenhum sentido para os que não crêem no pré-tribulacionismo. Analisemos agora, cada ponto isoladamente.

O primeiro ponto a ser considerado é o de que a Segunda Vinda seja dividida em dois períodos: um para os salvos e outro para o mundo. Tal divisão jamais é apresentada na Bíblia. Pelo contrário: Paulo mostra claramente que o arrebatamento da Igreja e a vingança contra o mundo ocorrem no mesmo período. Analise 2ª Tessalonicenses 1:7,8. O próprio Sermão Profético (Mateus 24 e 25; Marcos 13; Lucas 21, mas também 17:20-ss) só fala de um evento da Segunda Vinda, e ocorre após a tribulação, como vemos nitidamente em Mateus 24:29-31.

Eles usam dois argumentos básicos para defender essa idéia. O primeiro argumento é o de que existem, na realidade, dois termos para definir a Segunda Vinda, e que um (hARPAdZO) refere-se à primeira fase (arrebatamento), enquanto o segundo (PAROYSIA), seria a própria vinda visível.

Tal argumento, contudo, não encontra base nas escrituras. O termo PAROYSIA é usado tanto para se referir à vinda visível quanto para o “arrebatamento”: confira 1ª Tessalonicenses 4:15 a 2ª Tessalonicenses 2:8. O texto Nestle-Aland (UTF8) assim lê nestas passagens (grifo do autor):

τουτο γαρ υμιν λεγομεν εν λογω κυριου οτι ημεις οι ζωντες οι περιλειπομενοι εις την παρουσιαν του κυριου ου μη φθασωμεν τους κοιμηθεντας (1ª Tessalonicenses 4:15)

και τοτε αποκαλυφθησεται ο ανομος ον ο κυριος ανελει τω πνευματι του στοματος αυτου και καταργησει τη επιφανεια της παρουσιας αυτου (2ª Tessalonicenses 2:8)

Também o substantivo EPIFANEIA (“manifestação”) é empregado em ambas as situações. Assim diz o Nestle-Aland em 1ª Timóteo 6:14 (grifo do autor):

τηρησαι σε την εντολην ασπιλον ανεπιλημπτον μεχρι της επιφανειας του κυριου ημων ιησου χριστου (1ª Timóteo 6:14)


Tanto nesta passagem quanto em 2ª Tessalonicenses, já mostrada, aparece o mesmo substantivo: EPIFANEIA. Portanto, não há base alguma para um arrebatamento secreto anterior à vinda literal: o o próprio arrebatamento acontece durante a MANIFESTAÇÃO. É impensável algo ser, ao mesmo tempo, manifesto e secreto. Pelo contrário, a vinda de Jesus, conforme Atos 1:9-11 e Lucas 21:27,28, é visível. Ambas as passagens se encaixam perfeitamente em Mateus 24:30 e Apocalipse 1:7. A chamada “Grande Tribulação”, conforme mostrado em Mateus 24:15-28, acontece ANTES da vinda, não depois: os próprios cristãos são aconselhados a fugirem da Judéia (Mateus 24:16-18). Retornaremos a este assunto.

O segundo argumento usado por eles é o de que, segundo 1ª Tessalonicenses 1:10; 5:9 (e diversos outros versículos), o arrebatamento só pode acontecer antes da tribulação, porque esta seria a forma de Jesus livrar os crentes da “ira futura”. Porém não é isso que esses versículos dizem! Se a Segunda Vinda dá-se em um só momento, todos nós estaremos protegidos e livres da vingança (conforme 1ª Tessalonicenses 5:2-9; 2ª Tessalonicenses 1:7,8).

É interessante comparar Mateus 24:43; Lucas 12:39; 1ª Tessalonicenses 5:2,4; 2ª Pedro 2:10-12; Apocalipse 3:3; 16:15. Em todas essas passagens a Segunda Vinda de Jesus é comparada ao ladrão da noite, inesperado. Mas como vemos em 2ª Pedro 2:10-12, esta Segunda Vinda destrói (literalmente ou metaforicamente) o mundo, tomando a vingança encontrada em 2ª Tessalonicenses 1:7,8. Já 1ª Tessalonicenses 5:1-4 é continuação de 1ª Tessalonicenses 4:13-18: ao contrário do que os pré-tribulacionistas podem dizer, o Dia do Senhor, anunciado pelos profetas do Antigo Testamento, é claramente o Dia de Jesus Cristo, que, assim com Noé e Ló (Lucas 17:26-30), ao mesmo tempo salva alguns e toma vingança de muitos. Note que tanto em Apocalipse 3:3 quanto em Apocalipse 16:15 é pregada a mesma mensagem, a de que Jesus ainda viria.

Mas um detalhe muito importante: ao contrário do que prega o pré-tribulacionismo, o Dia do Senhor e a Grande Tribulação são duas coisas distintas. Enquanto o Dia do Senhor é sobre todo o mundo (Sofonias 1:18; Apocalipse 6:15-17), causando aniquilação completa (2ª Pedro 3:10-12), ainda que havendo esperança de salvação (Sofonias 2:3), a Grande Tribulação ocorre apenas na Judéia: conforme Mateus 24:15-28, já citado, é possível fugir desta tribulação a pé. A tribulação é simplesmente o ataque a Jerusalém realizado no ano 70 da nossa era, que pode ser analisada por meio da obra de Flávio Josefo. A causa queda de Jerusalém foi a rebelião judaica do ano de 66 d.C. Primeiramente Verspasiano, e depois seu filho Tito, atacaram Jerusalém: quem permanescia dentro dos muros da cidade morria de fome, e quem fugia morria à espada (quadro semelhante: Ezequiel 5:12). O morticínio, contudo, aconteceu sobre os judeus. Os cristãos fugiram para Pela. Ou seja, fugiram como Jesus Cristo os avisou para fugirem. Obs: erram aqui os preteristas ao defenderem que a destruição do Templo põe fim ao Judaísmo; na realidade este fim dá-se na morte de Jesus: compare Mt 27:51a; Efésios 2:14-16. Veja também que o Sermão Profético é uma resposta à questão dos discípulos acerca da destruição do Templo (Mateus 24:1-3). Não existe base para crer que o Dia do Senhor e esta tribulação sejam a mesma coisa. O Dia do Senhor é a vingança de Deus sobre a terra; a tribulação é a vingança permissiva de Deus sobre o povo de Israel. Confira Lucas 23:28-30. Confira também que em Isaías 4:11,17 lê-se que no Dia do Senhor só Ele será exaltado; não existe espaço neste 'Dia' para exaltação à Besta através de sua imagem.

Recomendado: Leitura do livro do profeta Sofonias, e os cinco primeiros capítulos de Isaías, que mostram o peso do Dia do Senhor.


Outro argumento dos pré-tribulacionistas é Daniel 9:24-27. Eles afirmam que as 69 (7+62) primeiras semanas referem-se ao tempo entre a ordem para a reconstrução do templo até a morte de Jesus, sendo cada dia dessas 69 semanas equivalente a um ano, perfazendo 483 anos. Afirmam também que a última semana só se cumpre no fim dos tempos, ou seja, há uma brecha entre a 69ª e a 70ª semanas.

Isto, porém, me parece um absurdo! Daniel 9:24 é clarissímo: são 70 semanas de tempo cronológico, não 69 semanas, centenas de semanas, e, por fim, mais 1 semana. É um prazo de tempo! Não existe nenhum motivo ou prova bíblicos para se afirmar que esta semana seja separada das 69. Também não existe motivo bíblico para que, mesmo sendo uma semana separada das doutras, esta se cumpra se cumpra no nosso futuro. E mesmo que se cumpra no nosso futuro, também não existe motivo bíblico para crer que seja uma referência à tribulação! É preciso fazer três suposições para que essa semana seja empregada como querem os pré-tribulacionistas, além da quarta suposição, a de que o arrebatamento é logo antes dessa semana. Além disso, não existe texto bíblico que afirme que as Bodas do Cordeiro estejam contidas num período de sete anos, mesmo que seja este o tempo da tribulação. Veja que só após a derrota sobre a Babilônia espiritual anuncia-se as Bodas do Cordeiro (Apocalipse 19:1-7), e isto, segundo os pré-tribulacionistas, só ocorreria ao fim da tribulação.

Além disso, afirmar que a maioria dos acontecimentos do livro do Apocalipse dão-se após a o arrebatamento da Igreja faz com que estas informações tenham pouquíssima utilidade. Que importa à Igreja saber de acontecimentos pelos quais ela não passará? Qual o propósito da profecia bíblica, senão edificar, exortar e consolar (1ª Coríntios 14:3), para o que for útil (1ª Coríntios 12:7)?

Que utilidade há em informar a Igreja do primeiro século acerca de eventos que só ocorreriam séculos e milênios depois? É evidente que as informações dos primeiros e dos últimos capítulos são muito úteis,mas boa parte do livro não! A mensagem de Apocalipse 1:3 é de que se deve guardar as palavras da profecia, e que o tempo está próximo (não de nós, mas de João).

Veja que existem outras interpretações, como a de que este período de tempo se cumpriria com Antíoco IV, sendo Onias III o sumo sacerdote de Daniel 9:26, assassinado por seus rivais (ou seja, uma interpretação de 70 semanas de dias literais). Contudo, não é o propósito deste ensaio demonstrar esta interpretação particular.

Erram também os pré-tribulacionistas quando pregam que o Anticristo surgiria durante (e não antes) da tribulação dos sete anos. Biblicamente, o Anticristo surge ANTES da vinda de Jesus (2ª Tessalonicenses 2:1-4), e na época dos apóstolos já o mistério da injustiça operava (2ª Tessalonicenses 2:6-12). Paulo fala claramente como se o anticristo estivesse às portas, e não como uma personagem do futuro. Isto, é claro, se realmente o 'anticristo' . Ver também 1ª João 2:18; 4:3.

SE a Primeira Besta do livro do Apocalipse (caps 13) realmente é o Anticristo, então o anticristo já pode ter vindo. Não é difícil encontrar as semelhanças entre a Primeira Besta e Nero Claudius Caesar Augustus Germanicus. Não é segredo que a cidade de Apocalipse 17 seja Roma; na época de João, era a única cidade que poderia satisfazer às condições de Apocalipse 17:18. Assim como Roma está rodeada de sete colinas (Aventino, Caélio, Capitolino, Esquilino, Paladino, Quirinal, Viminal), também a 'Prostituta' de Apocalipse 17:9.

Em Apocalipse 17:9-11 fala-se de sete reis. É fácil identificar estes reis com nomes de blasfêmia (Augusto, ou Divino, atribuido a esses reis, Apocalipse 13:1) com Otávio (1º), Tibério (2º), Calígula (3º), Cláudio (4º), Nero (5º), Vespasiano (6º) e Tito (7º). Veja que Apocalipse 17:10 confirma que o que virá (Tito) durará pouco tempo, e realmente ele reinou por apenas dois anos. Verspasiano seria aquele que está vivo enquanto João recebe a revelação, ou enquanto escreve o livro. A Besta é ao mesmo tempo o 8ª (Domiciano) e é um dos sete (Nero), uma vez que são duas Bestas, uma com o poder da outra (Apocalipse capítulos 13 e 14). Agostinho (Civitate Dei, XX.19.3) testemunha de que havia a crença de que Paulo havia se referido a Nero como “mistério da injustiça” (ou iniquidade). Existe também a especulação de que Nero Ceasar, na pronúncia grega e transliterado para o hebreu, resulta no valor 666. Não é o meu propósito defender esta interpretação preterista. Até mesmo porque em 2ª Tessalonicenses 2:8 é mostrado que na vinda de Jesus, o anticristo (?) é aniquilado. Ele precisa, portanto, estar vivo no futuro. A menos, é claro, que esta seja uma interpretação exclusiva de Paulo. Ainda assim seria possível interpretar a Besta e o Anticristo como pessoas diferentes.

Um outro problema do pré-tribulacionismo é a ressurreição. Ensina-se que Jesus Cristo, durante o arrebatamento, ressuscita os mortos que nele creram. Segundo a teologia paulina, o arrebatamento e a ressurreição dão-se em um único momento (1ª Tessalonicenses 4:13-17). Mas conforme nós vemos em Apocalipse 20:4-6, a ressurreição dos justos dá-se após a suposta 'grande tribulação'. Se estes são os justos que ficaram para trás e foram mortos na tribulação, então onde o Apocalipse mostra ressurreição anterior, se o próprio Paulo fala de apenas uma transformação, dos vivos e dos mortos (1ª Coríntios 15:51,52; cf. Filipenses 3:20,21; 1ª Tessalonicenses 4:13-17)?


Gyordano Montenegro Brasilino, cristão.

73 comentários:

  1. Porque a Igreja está no céu nas Bodas do Cordeiro em Apocalipse 19:1-10 ?

    As Bodas do Cordeiro acontecem no céu antes da descrição da Vinda de Jesus em um cavalo branco.

    Como ela chegou lá em cima para as Bodas?

    Se a Igreja está na Terra sofrendo, porque Jesus disse em Apocalipse 3:10: "Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei DA hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra."

    Porque João não disse: NA hora da tentação e sim DA hora da tentação ? A preposição é EK (DA) e não EN (NA).

    Porque em Apocalipse 4:1-2 João diz: DEPOIS destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu; e a primeira voz, que como de trombeta ouvira falar comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.E logo fui arrebatado em espírito, e eis que um trono estava posto no céu, e um assentado sobre o trono.

    O versículo inicia com a afirmação "DEPOIS destas coisas", ou seja depois da Igreja e mostra o arrebatamento de João. (Leia Apocalipse 1:10)

    Porque João ouviu uma voz como de trombeta ? (Compare com I Tessalonicenses 4:13-18)

    Porque os pós-tribulacionistas dizem que em Mateus 24:30-31 fala sobre o arrebatamento da Igreja se ela somente foi estabelecida em Atos 2, com a descida do Espírito Santo ?

    Porque os pós-tribulacionistas comparam Mateus 24:30-31 com o arrebatamento da Igreja, que foi descrito por Paulo em I Tessalonicenses 4:13-18, sendo que em Mateus 24:30-31 fala apenas da reunião dos judeus e gentios convertidos para o milênio e não fala absolutamente nada de arrebatamento ?

    Porque em Mateus 24:31 fala de muitos anjos e em I Tessalonicenses 4:16 fala apenas de um arcanjo ?

    Porque a palavra "arrebatados" aparece nesse versículo ?

    Porque I Tessalonicenses 4 não fala nada sobre o milênio e a destruição do anticristo e do falso profeta?

    Porque os pós-tribulacionistas dizem que a palavra arrebatamento não está na Bíblia ?

    Se o Espírito Santo é o único que pode se encaixar na expressão "o que o detém" em 2 Tessalonicenses 2:6-7 e a Igreja começou com a descida do Espírito Santo e em I Coríntios 6:19 diz:Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?

    Em relação a esses versículos porque a Igreja não será arrebatada quando Espírito Santo for tirado ?

    Você pode me mostrar onde está a Igreja na terra do capítulo 6-18 ?

    Você pode me dizer se os mártires de Apocalipse 7 são a Igreja e não judeus ou gentios que se converteram ?

    Porque a Grande Tribulação é chamada de dia de angústia para Jacó ?

    Você pode me mostrar no novo testamento: Nos evangelhos, nos atos dos apóstolos, nas cartas paulinas, nas cartas gerais e no Apocalipse instrução para a Igreja na Grande Tribulação ?

    Porque os pós-tribulacionistas dizem que Israel é a Igreja de Deus ?

    Como Israel pode ser a Igreja de Deus sem se converter ?

    Porque todos os pós-tribulacionistas, possuem um ponto de vista mas não conseguem prová-lo ?

    Eis a resposta à última pergunta:
    “Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas; querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam” 1 Tm 1:6,7 (cf. 1 Tm 6:4).

    Você não conseguirá responder as outras perguntas com amilenismo, pós-milenisno, meso ou pós-tribulacionismo, nem adianta tentar, mas se quiser eu estou esperando as respostas.

    Obs: Tem que ser com a Bíblia interpretada literalmente.

    A paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  2. Desafio aceito.

    O próximo artigo do blog será uma resposta a todas as perguntas apresentadas.

    ResponderExcluir
  3. As respostas já estão postadas no seguinte tópico: http://cristianismopuro.blogspot.com/2011/02/em-resposta.html

    ResponderExcluir
  4. O irmão me perdoe mas voce precisa estudar mais as escrituras
    O proprio Senhor disse: errais por não conheceres as escrituras nem o poder de Deus,voces erram por não saber separar as dispensações e misturam versiculos para a Igreja com versiculos para a tribulção como:
    Aquele que perseverar até o fim será salvo....Isso é um absurdo,Jesus não pagou nosso preço na cruz e nós pagamos as prestaçõs....
    Desejo ao irmão que Deus te esclareça
    Fique com Deus

    ResponderExcluir
  5. Pois não! Basta mostrar onde está o erro e provar que está errado.

    ResponderExcluir
  6. amados nao crie contendas
    o mais importante é estarmos em santificaçao
    para nao sermos pegos de surpresa.
    e se permanersermos firmes isso nao nos fara diferença pois nossa salvaçao sera certa.
    é bem melhor acreditar na teoria dos pretribulacionista,pois sera horrivel passar pela tribulaçao.
    mas biblicamente falando a teoria dos pós sao mais concretas pois esistem inumeros versiculos q comprovam este fato como por ex. 2tessalonicenses cap2 v 1a17.
    enquanto a dos pré sao apenas interpretaçoes,nao há nada de concreto.
    fiquem na paz e leiam mais a biblia.

    ResponderExcluir
  7. meu caro irmão, esses reis que vc se refere ser a besta , não dominaram sobre toda nação tribo e lingua e nem nem marcaram a população na mão ou na testa e nem passaram pelas sete taças, mas acho que os pos estão sertos

    ResponderExcluir
  8. Respondendo ao Sr. "Anônimo",

    O Sr. está apresentando os dados conforme os padrões atuais, e não conforme os padrões da época em que a Bíblia foi escrita.

    O apóstolo Paulo podia dizer que o Evangelho foi pregado a toda criatura (Colossenses 1:23), mesmo nós sabendo que haviam nações inteiras que na época não ouviram do evangelho. Para entender isso, é necessário utilizar o padrão do autor, não o padrão de um leitor atual.

    Em segundo lugar, quem disse que eles NÃO marcaram a população na mão e na testa e nem passaram por essas taças? Eles não fizeram isso LITERALMENTE, mas isso não significa que eles não o fizeram. Querer interpretar a profecia bíblica literalmente é um anacronismo grosseiro.

    Em terceiro lugar, eu não sou pós-tribulacionista.

    ResponderExcluir
  9. a besta esta cheia de nome de blasfemia, não os reis tem nome de de blasfemia, esse é so um do muitos erros do seu texto, preste atenção nos detalhes, o segredo do tema esta nos nos detalhes.

    ResponderExcluir
  10. Concordo plenamente com este estudo!!!

    ResponderExcluir
  11. este estudo esta certo quando jesus estava falando sobre isto ele estava falando aos primeirissimos crentes a sós no monte das oliveiras e ele disse e depois das afliçoes daqueles dias o sol escurecera e a lua não dara a sua claridade então vereis no ceu o sinal do filho do homem vindo no ceu com poder e grande gloria e ele enviara o seus anjos que ajuntarão os escolhidos dos quatro ventos de toda a terra e não da judeia e mais aqueles dias foram abreviados por causa dos escolhidos leiam com atenção o capitulo 24 de mateus. errais por não examinarem as escrituras

    ResponderExcluir
  12. Obrigado por nos proporcionar condições para podermos rever nossos conceitos quanto à cristandade. Tenho questionado tantas coisas e encontrado tantas respostas incríveis. O erro do homem é sempre ouvir e aprender sem questionar. Acabam se tornando repetidores. A base do conhecimento é o questionamento. Obrigado pelo artigo. Tenho buscado somente a verdade e tudo muda, quando a descobrimos. Tudo isso reflete em nossa vida, agora, no presente, para vivermos mais felizes e melhores, pois os extremistas institucionais tentam nduzir as pessoas a uma vida de fatalismo. Uma boa pergunta: O que é ser cristão de verdade? A maioria das pessoas erram profundamente com suas respostas...

    ... expressaolivre@gmail.com

    ResponderExcluir
  13. Sr. Gyordano, qual seria sua posição frente a escatologia? Ou melhor, em qual linha escatologica o Sr. se apoia quais as suas interpretações biblicas para sua posição?

    ResponderExcluir
  14. Em geral, eu sigo o Premilenismo Histórico (não-dispensacionalista). Mas isso não significa que eu necessariamente concorde com todo premilenista histórico sobre a interpretação de cada texto bíblico.

    ResponderExcluir
  15. Por favor, descreva a visão do Premilenismo Histórico(não-dispensacionalista)e quais os pontos que o Sr. não concorda e porque? Sr. Gyordano minhas perguntas podem soar como tolas(na verdade são "tolas", kkk mas jamais ironicas, pode ter certeza disso.) por eu não ter convicção do que eu sou, digo religiosamente, e, através de suas colocações estou podendo aprender melhor (pois estou dando mais atenção a biblia de acordo com suas colocações e outras poucas.) e de forma clara ou sem rodeios sobre o cristianismo e não "esse" que se apresenta nos diversos meios. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente quero deixar claro que eu não prego outro cristianismo diferente, do que o Sr. vê por aí 'nos diversos meios'. Eu não tenho e não pretendo ter o monopólio do cristianismo, a verdade última sobre a qual os crentes devem fundar a sua fé. Desconfie de todos os que afirmam ter o verdadeiro cristianismo.

      Sobre o Premilenismo Histórico, é uma escola escatológica que prega:
      (I) Que a segunda vinda de Jesus Cristo se dará em um momento futuro (um único momento, diferentemente dos dispensacionalistas, que acreditam em uma vinda que se dá em dois momentos).
      (II) Que essa vinda é antecedida pelo império do anticristo sobre todas as nações da terra com uma promessa de paz e segurança.
      (III) Que na sua vinda (visível), Jesus destruirá o anticristo, aprisionará o diabo, resussuscitará os crentes mortos, transformará os crentes vivos e iniciará seu reino milenial (ou seja, 1000 anos literais, uma crença chamada quiliasmo/milenarismo), um reino de paz e justiça no qual os crentes são reis sobre as nações.
      (IV) Que, ao fim desse reino, Satanás será solto para tentar as nações, mas será finalmente derrotado.
      (V) Que após isso acontecerá o Juízo Final.

      Sobre isso eu o remeteria aos capítulos 19 a 21 do livro do Apocalipse, além de diversos outros textos (1 Coríntios 15; 1 Tessalonicenses 4:13-18; 2 Tessalonicenses 1:3-12; 2:1-12).

      Há outros aspectos importantes, mas como esquema geral é isso.

      Sobre esses pontos, assim colocados, a única ressalva que eu faria é sobre o reino de 1000 anos. Não sou decisivo em afirmar se os 1000 anos são literais (ou seja, exatamente mil anos) ou se são um "grande período" incontável. Creio que ambas hipóteses são possíveis diante do texto bíblico.

      Mas as escolas escatológicas não são apenas esquemas gerais do futuro (ou passado), mas também dizem respeito a interpretação de textos bíblicos específicos (isto é, sobre um dado texto pode haver a interpretação amilenista, preterista, dispensacionalista, etc). Por isso eu disse que não concordo necessariamente com toda a interpretação premilenista histórica; concordo com o esquema geral, mas por vezes discordo da interpretação deste ou daquele texto.

      Excluir
  16. Sr. Gyordano, obrigado pela paciencia comigo, de acordo com sua postagem no trecho final diz--"Segundo a teologia paulina, o arrebatamento e a ressurreição dão-se em um único momento (1ª Tessalonicenses 4:13-17)."-- minha dúvida é como o Sr. interpreta esse arrebatamento ou seja, os mortos foram arrebatadas para onde? E ressuscitando estão aonde? Estariam concientes ou não? Por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os mortos não foram arrebatados. O texto trata dos vivos, que SERÃO arrebatados aos céus para encontrar o Senhor nos ares.

      Na ressurreição, os crentes em geral ressuscitarão onde estavam seus corpos sepultados (ver o exemplo de Jesus, além de Mateus 27:52; João 5:28). É claro que há exceções, mas a descrição geral é essa.

      Quanto à consciência dos mortos, não há dúvida (Jó 10:21,22; Lucas 23:43; Filipenses 1:23; Apocalipse 6:9,10).

      Excluir
  17. Sr. Gyordano não foi minha intenção levá-lo a intender que o Sr. prega outro cristianismo, queria dizer em relação a muitas banalidades que se tem infelizmente no meio cristão, desculpe-me. Em relação a essa parte
    ---(III) Que na sua vinda (visível), Jesus destruirá o anticristo, aprisionará o diabo, resussuscitará os crentes mortos, transformará os crentes vivos e iniciará seu reino milenial (ou seja, 1000 anos literais, uma crença chamada quiliasmo/milenarismo), um reino de paz e justiça no qual os crentes são reis sobre as nações.----
    Com essa vinda (VISÌVEL) os crentes vivos verão essa batalha? E verão o Cristo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os crentes verão o Cristo sim (Apocalipse 1:7).

      Sobre a batalha, há de se perguntar sobre a LITERALIDADE dela. É dito, por exemplo, que o Senhor batalhará com uma espada NA BOCA (Apocalipse 19:15). Se tomarmos em conta que a "espada" pode ser uma descrição para a Palavra (Efésios 6:17), a literalidade do texto resta questionada.

      No texto também é dito que um anjo convida a todos para comer da carne dos derrotados (Apocalipse 19:17,18). Também esse trecho é simbólico.

      Ou seja: se os crentes vivos verão essa batalha ou não, isso depende do que SIGNIFICA, de fato, essa batalha, quando abstraímos do simbolismo.

      Excluir
  18. Amilenista, premilenista, milenista, pos, pre, a tribulacionista e etc, estejam preparados , o Senhor está voltando.

    ResponderExcluir
  19. o que eu acho é que toda esta discussão sempre permanecerá, pois os métodos que são utilizados para a interpretação das profecias são distintos. uns preferem o literalismo em contrapartida outros utilizam-se da espiritualização e ainda o metodo historicista, logo nunca, seja, pós, pré, amile ... vão chegar em um concenso. o que proponho é que tenhamos respeito uns com os outros pelo fato de um interpretar de uma forma e outro de outra, pois a diferença esta no metodo de interpretação.

    por fim pergunto a todos, JESUS É TEU UNICO E SUFICIENTE SALVADOR?

    creio que todos que comentaram diram >>> SIM.

    ENTÃO ISTO É O QUE IMPORTA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade MUITA COISA além disso importa.

      Em primeiro lugar, a escola escatológica afeta diretamente a missão da Igreja. Para um pré-tribulacionista, o papel atual da Igreja é preparar os crentes para a vinda (secreta) de Jesus; por sua vez, um pós-milenista acreditaria que o papel da Igreja é ser um instrumento na construção do Reino de Deus na terra na medida em que a Igreja penetra todas as áreas da sociedade. Acha mesmo que isso não é uma grande diferença?

      Em segundo lugar, e daí que ninguém chegará a um consenso? Todos sabem disso. Mas isso não tira a responsabilidade individual de buscar a verdade deixando o erro.

      Em terceiro lugar, o amor à Palavra de Deus produz necessariamente o repúdio à sua deturpação.

      Em quarto lugar, toda sorte de grupos heréticos crê que Jesus é seu único e suficiente salvador. Não importa se você crê que Jesus é seu único e suficiente salvador SE ao mesmo tempo (contraditoriamente) você justifica pelas obras (Gálatas 5:4). A heresia é um pecado do qual é necessário arrepender-se (Gálatas 5:20,21).

      Excluir
  20. bem uma denominação que no brasil assume ser pré-tribulacionista é a assembleia de Deus, contudo são especialistas em missões, já os pós (conheço alguns)da mesma forma jamais vão negligenciar na proclamação do que Jesus ordenou: "indo" ou "ide" por todo mundo...

    quanto ao seu terceiro parágrafo ao meu ver, que é nada, é que deve estar gerando este conflito de idéias.

    e o ultimo paragrafo, nosso foco é a escatologia e provavelmente todos que estao comentando são protestantes e assumem, sola fide.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que não fui claro o suficiente.

      A questão não é saber se alguém vai "negligenciar" ou não a pregação do Evangelho. A questão é, esta sim, que a escola escatológica AFETA DIRETAMENTE a forma como essa proclamação é desempenhada. É necessariamente assim. Se uma escola está certa, a pregação do Evangelho DEVE ser feita de uma forma; se outra está certa, DEVE ser feita de outra. Acontece que quando se trata das coisas divinas, nós não podemos simplesmente escolher como queremos fazer; DEVEMOS da forma estabelecida por Deus. Fui claro?

      Ademais, repito o que disse: o amor à Palavra de Deus produz necessariamente o repúdio à sua deturpação. Todo amor gera necessariamente um repúdio ao inverso do objeto desse amor. Por isso é NECESSÁRIO que haja conflito.

      Finalmente, aparentemente meu último parágrafo foi o mais mal compreendido. Disse e repito: MUITOS grupos heréticos confessam que a salvação se dá exclusivamente pela fé em Jesus. Adventistas do Sétimo Dia por vezes confessam isso; isso não impede de CONTRADITORIAMENTE justificarem pelas obras (mesmo que não admitam isso). Nem sempre a heresia é uma negação explícita da verdade; às vezes é uma mistura contraditória de verdade e mentira. Por isso perguntar "JESUS É TEU UNICO E SUFICIENTE SALVADOR?" e dizer que isso é a única coisa que importa é um juízo demasiado precipitado. Não, muita coisa além disso importa.

      Excluir
  21. Como vai Sr. Giordano ? Saudades dos debates. Gostei do suas colocações. Veja só que interessante, me encontro congregando em uma Assembléia de Deus e quando coloquei para alguns dos líderes minha posição pós- tribulacionista , acabei em uma verdadeira tribulação, rsrs. Sou visto como o Presbítero Herético, rs E todos não medem esforços para me fazer abjurar.

    De seu amigo, Sr. Borkoski.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é muito comum, em especial quando a mensagem do Evangelho é trocada por uma determinada escola escatológica. A fraca instrução teológica presente nas igrejas do nosso país impede de perceber a diferença entre as duas coisas.

      Quantas vezes eu não vi a mensagem da vida, morte e ressurreição de Jesus ser trocada por uma ameaça de ser "deixado para trás"?

      Excluir
  22. Parabéns Gyordano pela sua publicação. Tenho postado no meu blog (www.tempodagracadedeus.blogspot.com) vários textos combatendo a heresia do arrebatamento e do arrebatamento pré-tribulação, pois o pré-tribulacionismo é como uma erva daninha no meio dos evangélicos.
    Que Deus continue lhe abençoando.
    Éber Stevão.

    ResponderExcluir
  23. SEGUNDA VINDA DE CRISTO - 08 E 09

    http://www.youtube.com/watch?v=c0kfpnEjcks

    http://www.youtube.com/watch?v=YV8oBfr9cj0

    ResponderExcluir
  24. Paulo e Pedro concordam sobre a segunda vinda de Cristo, com a ressurreição, glória dos santos e a destruição dos ímpios imediato.....
    Paulo ( I Tess 5:1-4, 9,10)
    Pedro ( II Pedro 3: 4,7,10-12)
    Compare os textos e me diga o que acha.....compare tbm com o que Jesus disse....Mateus 25: 31-46.

    A minha questão é....eles (Paulo e Pedro) não concordam quanto aos eventos imediatos a vinda do Senhor? Sem que precise de um milénio?

    ResponderExcluir
  25. Bom dia à todos ... primeiramente quero parabenizar o irmão Gyordano pelo blog ... agora o Sr. que se identifica como "anônimo" ou meçlhor não se identifica (com todo respeito), só para entender o Sr. é Amilenista?

    ResponderExcluir
  26. Ola Marcelo, na verdade sou catolico não praticante mas meu primo sendo evangelico disse que é quase amilenista ele acha que segundo os texto acima tanto Paulo como Pedro (aí vem a pergunta) qual é ou se entende a posição de Paulo e de Pedro quanto a vinda de Cristo se uma vez ou será duas como os evangelicos dizem e vai ou não ter o milenio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora entendi sua pergunta.

      Sim, os textos citados não deixam margem para nenhum "milênio" posterior à vinda de Jesus, já que nesta vinda ao mesmo tempo ocorre a premiação dos justos e destruição dos ímpios (Juízo Final), indo uns para a vida eterna e outros para o tormento eterno.

      Veja também os primeiros dois capítulos de 2 Tessalonicenses. Há também outros textos assim, como 1 Coríntios 15 e Hebreus 10 (que dizem que Cristo estará nos céus à direita de Deus até a ressurreição dos justos e destruição da morte), ou João 5:28,29 (que colocam a ressurreição dos justos e dos ímpios em um só momento).

      A Bíblia não dá qualquer margem para duas vindas de Jesus.

      Note que o conceito de "ressureição dos ímpios" não ocorre em Paulo ou em Pedro, sendo encontrado apenas em outras partes do Novo Testamento.

      Excluir
  27. Sr. Montenegro obrigado, essa visão Pré-Tribulacionista e a visão Pré-Milenista são as mesmas? Todo Pré-Milenista é Pré-Tribulacionista?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não e não.

      O Pré-Milenismo Histórico afirma que a vinda de Jesus se dá para iniciar o milênio, logo depois da Grande Tribulação.

      O Pré-Milenismo Pré-Tribulacionista afirma que a vinda de Jesus se dá antes da Grande Tribulação. Segundo essa posição, há 7 anos entre esta vinda secreta de Jesus e uma vinda pública no início do milênio. Dentre as duas, é a posição mais confusa (com mais eventos).

      O primeiro Pré-Milenismo é chamado "Histórico" porque é a única forma de Pré-Milenismo que existiu durante muitos séculos, até que no século XIX foi inventado o Pré-Milenismo Pré-Tribulacionista. Por isso a primeira posição passou a ser conhecida também como Pré-Milenismo Pós-Tribulacionista.

      Excluir
  28. Olha pessoal se é antes ou depois o importante é a nossa salvação que foi conquistada na cruz, nós como igreja devemos buscar ganhar mais e mais vidas para Jesus mais no que tange a vinda do mestre o pós-tribulacionismo me parece o mais bíblicamente correto. Uma pergunta básica oque aconteceu com os apóstolos de Cristo e com os cristãos da igreja primitiva? Foram perseguidos muitos foram mortos, se eles não foram poupados pq os Cristãos de hoje que são acomodados e mal ajudam na obra do Senhor seriam poupados?
    Acorda igreja segunda tessalônica é irrefutável eu me tornei pós tribulacionista por causa deste texto é irrefutável.

    ResponderExcluir
  29. Sr. Montenegro em 1 Tess. 4:17 se literal esse mil anos nós vamos passar nas nuvens(ares, céus)? Se não for apenas encontraremos Cristo no ares e iremos pra onde?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não creio nisso. Pretendo escrever um tópico em breve sobre esse tema.

      Excluir
  30. Como se interpreta a parábola das 10 virgens? Ela faz parte da interpretação pré-tribulacionista, como mostrar que ela não se enquadra com a proposta do texto acima?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os pretribulacionistas afirmam que haverá salvação após o "arrebatamento secreto".

      A parábola das dez virgens é muito clara: na vinda do noivo, quando ele se reúne com as virgens, a porta se fecha e não há oportunidade posterior.

      Excluir
  31. Então não haverá "salvação"??? E a forma como o sr. interpreta essa parábola é ? 10 virgens, 5 prudentes, 5 locucas, o noivo ??? Jesus sendo o noivo, as 5 prudentes os crentes fiéis, as 5 loucas os que se acham crentes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vinda de Jesus é o Juizo Final. Não há salvação depois do Juizo Final.

      Excluir
  32. Deixe-me expressar melhor ... como interpretar essa parábola de outra perspectiva pois só se fala nessa passagem referindo-se na interpretação pré-tribulacionista ... Jesus(noivo) vem retira sua igreja(5 prudentes) e os que ficaram(5 loucas) passará pela tribulação ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A parábola das virgens imprudentes não é uma alegoria. Os elementos (noivo, virgens prudentes, virgens imprudentes, etc) dela não significam nada. O que a parábola ensina é sobre a necessidade de estar pronto.

      A "interpertação" pretribulacionista não se encaixa no texto da parábola. A parábola diz que após a vinda do noivo, não há mais oportunidade; na escatologia pretribulacionista, há salvação após a vinda do noivo (na "grande tribulação").

      Excluir
  33. Ok, obrigado ... vc é um dos poucos que as igrejas necessitam estar a frente delas.

    ResponderExcluir
  34. Gyordano, aonde entram essas duas testemunhas?Quando elas estarão exercendo seus testemunho ? Ou essas duas testemunhas não são literais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não tenho nenhuma opinião nessa difícil matéria.

      Excluir
    2. Olá,

      Há muitas interpretações errôneas sobre as duas testemunhas, alguns estudiosos acreditam que elas serão Moisés e Elias que ainda voltarão a terra, pelo fato de um deles – Elias não ter morrido, mas essa linha de interpretação não se sustenta, pois se Elias e Enoque, tiverem que voltar a terra por não terem morrido, de igual forma também, os cristãos que forem arrebatados no último dia, terão que voltar também a terra, uma vez que no arrebatamento, milhares de vivos não provarão a morte.

      Porém, a revelação bíblica nos mostra que as duas testemunhas serão duas personalidades distintas, chamadas de “duas oliveiras, dois profetas” que nascerão (ou estarão vivos na terra, nos últimos dias), tempos antes de suas manifestações (Zc. 4:11-14). Esses dois profetas, profetizarão exclusivamente EM JERUSALÉM, onde estará o trono da Besta e do Anticristo; essas duas testemunhas terão poder para ferir a terra, com toda a sorte de pragas quantas vezes quiserem (dominarão as forças da natureza: Fogo, água e ventos), por um período de 42 meses (3.5 anos); e se alguém lhes quiser fazer mal, fogo sairá da sua boca e devorará seus inimigos (Apoc. 10:3 a 14).

      O TEMPO DA MANIFESTAÇÃO DAS DUAS TESTEMUNHAS
      Ao contrário do que pregam os pré os mesos-tribulacionistas, divorciados do contexto “CRONOLÓGICO DOS FATOS”, afirmando que as duas testemunhas aparecerão no mundo na última semana de Daniel (?). Porém, as Escrituras são claras em afirmar que estes dois profetas, somente se manifestarão depois da Vinda de Jesus, depois de passado “o primeiro AI”, e somente no período da “sexta trombeta (Apoc. 9:13), antes do toque da Sétima Trombeta - a dos dias do arrebatamento, Apoc, 11:15.

      As duas testemunhas com suas pragas, farão parte do “quarto período da Grande Tribulação” – os Juízos de Deus (sobre toda a carne do pecado) através da Ira do Cordeiro (Isa. 66:16 – Jud. 14:15). Não confundir com os Juízos dos Tronos sobre todas as almas, depois da Batalha do Armagedom, o Tribunal de Cristo, antes do Milênio; e o Juízo Final – Trono Branco, depois do Milênio).

      Abraços - E-mail: jaime.ap@hotmail.com

      Excluir
  35. Gyordano, em Mt 22 :11 Entrando, porém, o rei para ver os que estavam à mesa, notou ali um homem que não trazia veste nupcial 12 e perguntou-lhe: Amigo, como entraste aqui sem veste nupcial? E ele emudeceu.
    Como entender essa pessoa que estava dentro da festa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa pessoa é alguém que entrou na festa sem roupa de festa.

      Essa parábola não é uma alegoria (há outras parábolas que são alegorias). Essa pessoa não "significa" nada. Deve-se buscar nas parábolas o significado geral, e não detalhes.

      Excluir
  36. Quais são as possíveis no seu entendimento quanto as duas testemunhas? Quais as interpretações mais próximas dentro da biblia? Tem se Moises e Elias, Moises e Enoc, Josue e Zorobabel, se mais desconheço, mas essas parecem ser as mais vistas, o que você acha?

    ResponderExcluir
  37. REFUTAÇÕES À TEORIA PRÉ-TRIBULACIONISTA:
    Graça e Paz a todos!

    A visão pré-tribulacionista apresenta muitos os erros, entre eles: Os pré, desconhecem totalmente os três principais fundamentos Escatológicos: Grande Tribulação, Vinda de Jesus e Arrebatamento da Igreja.

    -O 1º ERRO PRÉ: Contemplam uma Grande Tribulação de apenas sete anos, baseada na “última semana de Daniel” (???). Dan. 9:24. Porém, nem Daniel, e nem as demais Escrituras afirmaram jamais, que “toda a Gr. Trib.” seria somente “sete anos”, pelo contrário, elas afirmam que esse tempo irá muito além.
    A Escritura diz, que esses sete anos num segundo plano, serão para todo o povo de Deus Israel/gentios da "última geração profética" perfazendo apenas “dois períodos de tribulação”, dentro de “QUATRO PERÍODOS” de toda a Grande Tribulação”.

    Em Seu ensino de Mateus 24, Jesus revelou a Igreja os vários sinais dos acontecimentos do fim, os quais viriam, não somente sobre o mundo pecador, mas também sobre sua Igreja; de forma prefigurativa para a Igreja de seus dias, e de forma total, sobre a Igreja mundial da última geração.

    -O 2º ERRO PRÉ: Eles confundem ”tribulação – a aflição daqueles dias”, com “a Grande Tribulação”. Interpretam erroneamente os sete anos da última semana de Daniel (dois períodos da Gr. Trib.), como sendo “toda a Grande Tribulação”, desconhecendo que ela na sua totalidade, é formada por “QUATRO PERÍODOS”: 1º- Princípio de dores, 2º- 1ª Besta, 3º- Anticristo, e a 4º ira do Cordeiro.

    Ao assumir essa interpretação, os Pré, dão um pulo de canguru sobre o Principio de Dores - terceira Guerra Mundial (o primeiro dos quatro períodos da Gr. tribulação) que virá, antes da última semana de Daniel;
    Mat. 24:
    6 “E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.
    7 Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.
    8 Mas todas estas coisas são o princípio de dores”.

    Além de tropeçar também, na questão “TEMPORAL” do período da Ira do Cordeiro, ao querer que suas pragas, sejam derramadas sobre os ímpios, dentro da última semana (?), antes, do tempo bíblico dela!
    Porém, as Escrituras mostram que isso não será possível de acontecer nos sete anos de tribulação; pois nesse tempo, o próprio Senhor, permitirá que o Dragão - Satanás transfira “seu poder ”p/ a Besta e o Anticristo” (Dan. 11:36 - 2Tes. 2:9 – Apoc. 13:7-11). Além do que, o Apocalipse mostra claramente que a Ira do Cordeiro com suas trombetas e taças das pragas, somente serão tocadas e derramadas, após a última semana (2 Tes. 2:1 a 3), e após a Vinda de Jesus em Glória (Apoc. 6:12 a 17 - Mat. 24:29-30).

    Continua...

    ResponderExcluir
  38. -O 3º ERRO PRÉ: Confundem a 1ª Besta com a outra Besta - o Anticristo:
    No Apocalipse 13 João foi claro ao mostrar duas bestas que dominarão o mundo, cada uma ao seu tempo. Porém, a pregação confusa dos pré, não conseguem discernir, qual Besta perseguirá quem? E qual Besta fará aliança com os israelitas?
    Em razão disso, afirmam erroneamente que o Anticristo “FARÁ ALIANÇA COM ISRAEL”. Porém, quem fará essa aliança com Israel, será a 1ª Besta, a qual, será a precursora do Anticristo.
    Ao visualizarem só uma Besta, os pré afirmam, que ela perseguirá Israel, e não a Igreja (dizem que ela será arrebatada antes). Porém, esquecem que no período da 1ª Besta, Israel estará de aliança com ela, e que as perseguições serão mundialmente mesmo, sobre todo os cristãos, nos 42 meses dela (Apoc. 13:7).

    A MANIFESTAÇÃO DA 1ª BESTA (Apoc. 13:1 a 10). Perseguição maciça de todos os cristãos em todo o mundo.
    Depois “do primeiro período da G.T.” a 3ª guerra mundial (tempo indefinido, aqui?), tem inicio “o segundo período da G.T.” a contagem da primeira metade da “última semana de Daniel”, 42 meses da 1ª Besta (Apoc. 13:5), a qual fará uma aliança com Israel (Isa. 28:18), iniciando uma ferrenha perseguição aos cristãos em todo o mundo.
    Mat. 24:
    9 “Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.
    10 NESSE TEMPO muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.
    11 E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.
    12 E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.
    13 Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo”.

    Jesus foi claro ao mostrar no v. 10, “O TEMPO” do cumprimento maior da perseguição, “a tribulação para a Igreja da ultima geração”(Mat. 24:34); ou seja: depois do Princípio de Dores, a partir da manifestação da 1ª Besta.
    Continua...

    ResponderExcluir
  39. -A MANIFESTAÇÃO DA OUTRA BESTA - O ANTICRISTO (Apoc. 13:11 a 18).
    Perseguição maciça aos israelitas em todo o mundo, após os 42 meses da 1ª Besta, inicia o “terceiro período” tribulacional, a outra metade da “última semana de Daniel”, os 1.290 dias da outra Besta – Anticristo, a qual romperá a aliança com Israel, feita pela 1ª Besta antes, dando início aos terríveis dias da “angústia para Jacó” (Jer. 30:7).
    Mat.24:
    15 “Quando, pois, virdes que a abominação da desolação de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda;
    16 Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes;
    17 E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;
    18 E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.
    19 Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!
    20 E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;
    21 Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.
    22 E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias”.

    Nesse “terceiro período tribulacional” – do Anticristo, a Igreja ainda estará presente no cenário mundial cerca de 30 dias, para testemunho das palavras do Senhor (Mat. 24:25“Eis que eu vo-lo tenho predito”); depois Ela fugirá e será protegida no deserto, fora da vista da serpente (Anticristo), onde será sustentada por 1.260; os dias finais do período absoluto do Anticristo (Apoc. 12:6).
    Então ele voltará e perseguirá “O RESTO DA SEMENTE DA MULHER - IGREJA”, os remanescentes israelitas (Apoc. 12:17).

    -O 4º ERRO PRÉ: Não enxergam, e nem respeitam a sequência perfeita dos fatos tribulacionais, anunciados por Jesus em Mateus 24, do verso 5 ao 28. Como também não querem enxergar, que (antes) dos versos 29,30 e 31, Jesus não fala para a Igreja de Sua Vinda e do arrebatamento.

    Depois dos 1.290 dias do Anticristo (a outra metade da última semana), Jesus acentuou outra vez “a tribulação daqueles dias”, que viria "antes de sua Vinda, sobre Seu povo: Igreja/Israel:
    Mat. 24:
    29 “E, LOGO DEPOIS DA AFLIÇÃO DAQUELES DIAS, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.
    30 Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.
    31 E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus”.

    Continua...

    ResponderExcluir
  40. A GRANDE TRIBULAÇÃO ACABA COM A VINDA DO SENHOR?
    Não! As escolas teológicas: Pré, Meso ou e até algumas Pós-tribulacionistas (I.A.S.D), pregam erroneamente que a Grande Tribulação acaba com a vinda de Jesus. Porém, após a Vinda do Senhor ela acaba sim, mas para a Igreja...
    Sofonias 2:
    3 “Buscai ao Senhor, vós todos os mansos da terra, que tendes posto por obra o seu juízo; buscai a justiça, buscai a mansidão; pode ser que sejais escondidos no dia da ira do Senhor”.

    Mas, ela continuará para os ímpios.
    Tes. 1:
    8 "Como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo;
    9 Os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder"
    .
    A IRA DO CORDEIRO:
    A partir da Vinda de Jesus, inicia “o quarto e último período da Gr.Tribulação,”a Ira do Cordeiro, o tempo mais temido pela Besta, Anticristo e todos os reis e pecadores da terra, pois perseguiram, derramaram o sangue do povo de Deus (gentios e israelitas) antes.
    Apoc. 6:
    15 “E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas;
    16 E diziam aos montes e aos rochedos: Cai sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, E DA IRA DO CORDEIRO.
    17 Porque é vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?"

    Nesse tempo cumprir-se-á os dias da vingança, o grande dia do Senhor – confundido por muitos, com o momento de Sua vinda; por outros com um dia apenas de 24h. Porém as Escrituras afirmam que, será um longo tempo de Juízos de Deus (Isa.13:5 a 13), chamado, o dia da vingança do Nosso Deus sobre a cabeça dos ímpios (Isa. 35:4 - 66:18 – Jd. 14-15). A colheita “primeiro do joio” (Mat. 13:30;40,41 e 49).
    Essa vingança do Senhor, Inicia a partir do toque da 1ª trombeta (Apoc. 8:7), das seis das pragas, sendo que a Sétima ou Última trombeta, é a do tempo da ressurreição dos mortos e do arrebatamento (Apoc. 11:15 a 18), e continua com o derramar das sete taças da ira de Deus (Apoc. 15), e acaba na Batalha do Armagedom na consumação dos séculos, antes do Milênio.

    Jaime e Júlio – Curitiba Pr. - Peça gratuitamente os gráficos do Apocalipse pelo Email Jaime.ap@hotmail.com -

    ResponderExcluir
  41. Sr. Gyordano, nos diversos conflitos entre interpretações ou opiniões, tem aqueles que dizem que essa terra será destruida pelo fogo e aqueles salvos irão morar em novos céus e nova terra e aqueles que diz que será uma transformação da natureza mas a terra é essa mesma, e a cidade santa descerá do ceus e pousara em qual terra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não entendi direito qual é a dúvida. O que exatamente o Sr. quer saber?

      Excluir
  42. Desculpe a demora sr.Gyordano, o que eu quero saber é essa terra será destruída ou será morada dos salvos? Ou os salvos irão morar no céu e essa terra será destruída? enfim sobre essa questão que envolve o local onde quem irá morar e essa terra em que habitamos o que vai acontecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Joel Santos...
      Se você e o Sr. Gyordano me permitir, posso responder biblicamente a tua pergunta.
      Aguardo um ok.
      Abraços.

      Excluir
    2. Esse verso mesmo que alguns falam que ela será destruida mas os salvos irão morar aonde, aos céus mesmo? No livro do Ap diz que a cidade santa desce do céu mas isso quer dizer que não será na terra? sr.Gyordano me ajuda aí kkkk

      Excluir
  43. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  44. Olá Joel Santos,

    Para se entender qualquer passagem bíblica, é necessário crer no que está escrito, baseando sempre em dois patamares: A.T. e N.T.
    Deus disse no livro do profeta Isaías, que a palavra que sair da Sua boca não voltará para Ele vazia (Isa. 55:11). Baseado nesta verdade imutável, vamos focar a palavra de Deus dita no principio da criação terrestre.
    Gen.1:
    26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; E DOMINE sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.

    Apesar do Senhor haver dado a Adão “O DOMÍNIO TERRESTRE” como todos nós já sabemos, com o pecado dele e de Eva, toda a sua descendência em suas gerações, passaram a serem dominados pela serpente (Satanás).

    Porém, para fazer vingar a Sua palavra, num primeiro plano, Deus enviou Seu Filho na plenitude dos tempos, para restaurar todas as coisas (Isa. 49:8 – Atos 3:21), e assim cumprir “através de Cristo – O ÚLTIMO ADÃO” (1Cor. 15:45), a Sua palavra empenhada no princípio.
    Na vinda do Messias, com sua morte na cruz, primeiramente Ele pagou o preço da ofensa de Adão e de toda a sua descendência pecaminosa (nós também), em seguida desceu aos infernos, tomou as chaves da morte e do inferno de Satanás, ou seja: dominou primeiro o reino espiritual dele.

    O ENGODO DAS TEOLOGIAS, PRÉ, MESO E PÓS-TRIBULACIONISTAS:
    A pregação de que os cristãos na ressurreição/arrebatamento serão levados para o céu (Trono de Deus), é mais um grande engodo dessas três teologias; pois, os cristãos da Igreja Primitiva criam na mesma promessa dada no princípio a Adão (Gen. 3:15), da RESTAURAÇÃO DO REINO TERRESTRE (Atos. 1:6), e não de ir morar no céu.

    Aliás, a promessa dada a Abraão o pai dos que são da fé, era que ele a sua descendência herdariam a terra para sempre (inclusive nós, a descendência cristã – da fé de Abraão).
    Gênesis 13:15 - Porque toda esta terra que vês, te hei de dar a ti, e à tua descendência, para sempre.

    No N.T. Jesus destinou, não ao céu para sua Igreja, mas O REINO.
    Lucas 22:29 - E EU VOS DESTINO O REINO, como meu Pai mo destinou.

    Outra vez, Ele ensinou os cristão a pedir em oração, a vinda DO REINO DE DEUS:
    Mat. 6:10 – Venha O TEU REINO... E não, vamos nós para o céu (?).

    Num segundo plano, já nos fins dos dias, o Senhor Jesus virá exatamente para tomar “os reinos desse mundo” de Satanás (Apoc. 11:15) e ao seu tempo reinar com seu povo sobre a terra, conforme disse o Salmista e João.
    Sal. 67:4 - Alegrem-se e regozijem-se as nações, pois julgarás os povos com eqüidade, E GOVERNARÁS AS NAÇÕES SOBRE A TERRA. (Selá.)

    Apoc. 5:10 - E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; E ELES REINARÃO SOBRE A TERRA.

    Esta é a mais pura realidade dos fatos, passados e futuros!
    Dúvidas: pergunte.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  45. APÓS O ARREBATAMENTO A IGREJA SERÁ LEVADA AO CÉU?
    Não, a maioria teológica baseiam-se em apenas alguns versículos mal interpretados, para mostrar que Jesus no arrebatamento, levará sua Igreja para o céu (Trono de Deus).
    Os mais usados pelos pré, meso e pós-tribulacionistas, são os versos de João 14:1 a 3.
    1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.
    2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar.
    3 E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.

    Mas, isto não é verdade, apesar desses versículos estarem ligados com o tema céu, eles não apontam o céu como O DESTINO DA IGREJA. O segredo consiste exatamente na parte final do verso 3, onde Jesus afirma que tomará a Igreja para “Si mesmo:
    “Para que ONDE EU ESTIVER estejais vós também.” Jo. 14:3.

    -Quatro pontos básicos que nos farão entender melhor esse tema:
    a). Na sua próxima vinda, Jesus deixará a casa do Pai para unir-se à sua Igreja (Ef. 5:31- 32).
    b). A Jerusalém Celestial, a qual o Senhor nos foi preparar lugar no céu (na casa do Pai); não foi feita para permanecer lá. Mas para ser estabelecida aqui na terra nos últimos dias, sobre o cume dos Montes de Jerusalém (Is. 2:2 - Mq. 4:1).
    c). O reinado de mil anos de Jesus com sua Igreja, não será no céu (trono de Deus), mas “SOB O NOSSO CÉU” atmosférico na terra (Mt. 6:10 - Ap. 5:10).
    d). Se fosse para habitar no céu Trono de Deus, não haveria a necessidade da ressurreição dos mortos, uma vez que essas almas que morreram antes no Senhor, já estão no terceiro céu, no Paraíso (Lc. 16:22). Então, haveria apenas a necessidade do arrebatamento para vivos salvos; e não RESSURREIÇÃO DE MORTOS.
    Todavia, a ressurreição e o arrebatamento dos salvos serão necessários, exatamente para que cada um receba corpos glorificados diferenciados: Uns para habitar na terra (1Co. 15:48a); e outros para habitar na Jerusalém Celestial. 1Co. 15:48b.

    Continua...

    ResponderExcluir
  46. -Alguém poderia perguntar, se o destino da Igreja não será o céu (Trono de Deus), e se haverá um bom espaço de tempo entre o arrebatamento, ante a Sétima ou última trombeta até a Batalha do Armagedom na consumação dos séculos; para onde o Senhor levará então a Igreja após o arrebatamento?
    Para “O ESCONDERIJO DO ALTÍSSIMO” (Sl. 91:1 - Hb. 13:14), na Jerusalém Celestial a qual estará oculta, sendo vista por pouco de tempo, depois da próxima vinda de Jesus (Ap. 11:19).
    “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Eis que salvarei o meu povo da terra do oriente e da terra do ocidente; E TRÁ-LOS-EI, E HABITARÃO NO MEIO DE JERUSALÉM; e serão o meu povo, e eu serei o seu Deus em verdade e em justiça”. Zc. 8:7-8 - Is. 35:10 - Ez. 34:11-13.

    “Mas chegastes ao monte de Sião, e à cidade do Deus vivo, À JERUSALÉM CELESTIAL, e aos muitos milhares de anjos...” Hb. 12:22

    Nessa Cidade, a Igreja arrebatada aguardará ainda (Is. 26:20), o derramar das sete taças da ira de Deus e o extermínio dos reinos ímpios deste mundo, culminando com a batalha do Armagedom.
    Então, nos últimos dias no monte de Sião, será manifesta literalmente “A JERUSALÉM CELESTIAL,” sobre a Jerusalém terrena (Is. 2:2-3), de onde a Igreja “sairá” para reinar mil anos com Cristo sobre a terra, conforme escreveu o profeta Malaquias:
    “Mas para vós, que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, e salvação trará debaixo das suas asas; E SAIREIS, e crescereis como os bezerros do cevadouro.” Ml. 4:2

    Nota: As teologias em geral, principalmente os Adventistas do sétimo Dia, por falta de conhecimento, tem confundido a Jerusalém Celestial, que será a sede milenar do governo de Cristo; com “a Nova Jerusalém”, que será a sede Eterna do governo de Deus e de Cristo, pós-milênio.
    Portanto, a primeira casa, a Jerusalém Celestial do governo de Cristo, será transitória pois passará juntamente com essa terra pós-milênio, sendo apenas prefiguração da última casa: “A NOVA JERUSALÉM”, que descerá no novo céu e na nova terra (Apoc, 21); a qual, será incomparavelmente de maior glória, conforme está escrito:
    “A GLÓRIA DESTA ÚLTIMA CASA SERÁ MAIOR do que a da primeira, diz o Senhor dos exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o Senhor dos exércitos”. Ag. 2:9

    Espero ter ajudado.
    Abraços – E-mail: Jaime.ap@hotmail.com

    ResponderExcluir
  47. Obrigado sr.Jaime pela suas resposta, vou aguardar as colocações do sr. Gyordano.

    ResponderExcluir
  48. Tambem tenho essa dúvida que o joel, vamos morar aqui nessa terra, o paraiso é na terra? Jaime e julio poderia ser mais curto e simples vamos morar no céu ou na terra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Anônimo,
      No céu Trono de Deus, pregado pelas teologias, não. Porém, sob o primeiro céu (o nosso atmosférico), sim!
      Eze. 36:
      35 “E dirão: Esta terra assolada FICOU COMO O JARDIM DO ÉDEN; e as cidades solitárias, e assoladas, e destruídas, estão fortalecidas e habitadas.
      36 Então saberão as nações, que ficarem de resto em redor de vós, que eu, o Senhor, tenho reedificado as cidades destruídas, e plantado o que estva devastado: eu o Senhor, o disse, e o farei”.

      É difícil falarmos do destino dos salvos no Reino de Cristo resumidamente, sem passar antes por dois fatores principais:
      -A nossa salvação é dependente da “FÉ” no Filho de Deus (Atos 16:31); porém já a herança/galardão, destino do salvo dentro do Reino de Cristo, é dependente das “OBRAS DA OBEDIÊNCIA NO SEU EVANGELHO” (1Cor. 3:8).

      Razão pela qual, há duas heranças futuras: Uma Celeste e uma terrestre; a qual, passará há ser manifestada na ressurreição do último dia, em cada corpo de salvo.
      “Há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e a outra á dos terrestres”. 1Cor. 15:40.

      Assim sendo, o cristão que herdar a herança Celeste, dominará sobre a terra como reis e sacerdotes (Apoc. 5:10).
      Já os cristãos que herdarem a herança terrestre, serão governados na terra (Isa. 61:5-6).

      Alguém já disse um dia: “Deus dá uma página branca a cada dia, oque escrevemos nela com as nossas obras, será manifesta somente naquele dia!”

      Abraços.

      Excluir